O Misantropo Enjaulado

O optimismo é uma preguiça do espírito. E. Herriot

Saturday, January 06, 2007

Banalizar o Vínculo

.

Já em casa não posso deixar de me insurgir contra a triste opção de emitir uma farsa que poria "pais falsos" a tomar conta de filhos, para gáudio de quem vê e se possa entreter com as asneiras que os pares inexperientes que concorrem venham a fazer. A despromoção do que de mais sublime pode haver, o nexo que une Pais e Filhos, para além de todas as contraindicações que os especialistas oportunamente lembram para o própro desenvolvimento dos bebés, que não foram consultados quanto à sua participação, parece um paroxismo da indústria de entretenimento paralelo à coqueluche de há uns anos - o Tamagochi, lembram-se? Que também era susceptível de morrer, mas virtualmente, apenas.

5 Comments:

  • At 9:04 PM, Blogger zazie said…

    Ser conservador é escrever este post!

    Nisto entendomo-nos. Já li para aí projecto de engenharias socais que são de arrepiar. Uma variante defende a ideia de a lei passar a obrigar a mulher grávida a ter o filho, tendo como argumento o direito do pai. Assim, passava a haver testes de ADN (em seres minúsculos) para a atribuição de paternidade e depois o Estado encarregava-se do direito de adopção. Se não fosse pelo progenitor natural, havia de ser por candidato.

    Como se não nos bastasse já a utopia da boa planificação por aborto estatal, tínhamos agora a utopia à Novo Mundo, das incubadoras à força.

    Isto tudo pelo mesmo motivo: só sabem pensar em direitos e "justiças" decretadas por papel.

    Temem os interditos morais e os castigos de consciência; a continuação da existência do pecado; as diferenças e a lei natural.

     
  • At 9:27 PM, Blogger Paulo Cunha Porto said…

    Querida Zazie:
    Claro que há um sistema de presunções de paternidade que excluiria, aplicando-se, a maioria esmagadora das hipóteses de necessidade de apuramento dela. Mas neste caso que me chocou foi o exibicionismo perigoso somado ao aluguer de bebés para espectáculo, algo que diminui a grandeza da geração e dos cuidados e o reduz à invenção humana com sinistro paralelo na imaterialidade de um jogo num aparelhómetro. E nesse sentido, sim entendemo-nos, ao querer dar a César o que é de César, ao passatempo o que lhe cabe. Mas não mais.
    Beijinho.

     
  • At 10:16 PM, Anonymous Anonymous said…

    Cara Zazie, cá para os meus lados, sentencia-se, muito prosaicamente, que quem nasce no curral é filho do bode... E nem se conhece essa complicação do ADN!

     
  • At 11:30 PM, Blogger zazie said…

    Eu sei que não mais. E nem tenho pachorra para esse debate.

    É tema que agita demasiados fantasmas acerca do sexo feminino.

    Prefiro-o tratado nos postes das beldades. Esses exprimem a pulsão mais verdadeira de um homem.

    Mas estou com o anonymous: também não sei para que se inventam tantos intervencionismos.

    Beijocas

     
  • At 11:55 AM, Blogger Paulo Cunha Porto said…

    Bom, descansemos no consenso, mesmo concedendo que cada caso é um caso.
    Beijinho e abraço.

     

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home

 
">
BuyCheap
      Viagra Online From An Online pharmacy
Viagra